Após morte de jovem no Rio, vereadores pedem fim da violência nas periferias

por adm publicado 16/06/2021 10h55, última modificação 23/06/2021 09h37
Kathlen Romeu foi atingida por bala perdida em confronto entre policiais e traficantes

Por Ana Luisa Rodrigues

No último dia 08 de junho, a morte de Kathlen Romeu, de 24 anos, na comunidade do Lins, na zona norte do Rio de Janeiro, chocou o país. Indignado, o vereador Emerson Osasco (Rede) apresentou durante a 14ª Sessão Ordinária, realizada nesta terça-feira (15), uma Moção de Pesar em homenagem à jovem carioca, aprovada por unanimidade. Em sua fala, o parlamentar expressou a indignação por mais essa morte causada por confrontos entre policiais e traficantes.

“Essa é uma moção que a gente jamais deveria fazer. Kathlen era uma mulher, uma mãe, que estava grávida, com apenas 24 anos de idade. Ela foi assassinada e seu filho, que estava sendo gerado há apenas 4 meses, também foi assassinado. Ela era uma mulher, preta, moradora de uma comunidade, vulnerável e carente do Rio de Janeiro”, disse Emerson.

O parlamentar alertou sobre o fato de que as balas perdidas costumam atingir apenas as periferias, os lugares carentes, com pouca infraestrutura: “Acabar com essa violência é uma obrigação nossa como sociedade, bem como acabar com a impunidade”, pediu o vereador, que ainda comentou sobre a dor e o sofrimento que marcarão a família de Kathlen durante toda a vida. ”Basta de mortes, basta de assassinatos do povo pobre e periférico”.

Kathlen Romeu chegou a ser levada para o Hospital Municipal Salgado Filho, no Méier, mas não resistiu aos ferimentos e veio a óbito. O caso ainda está sendo investigado.

*com edição de Charles Nisz.

Multimídia - 14ª Sessão Ordinária (15/06/2021)
Galeria de Fotos
Vídeo na Íntegra