Parlamentares cobram oferta de método contraceptivo na rede pública

por adm publicado 27/08/2021 11h25, última modificação 27/08/2021 20h30
Disponibilização do DIU foi colocada em pauta pela vereadora Juliana da AtivOz

Por Deniele Simões

Um dos temas debatidos pelos vereadores na 19ª Sessão Ordinária, realizada na última terça-feira (24), foi a oferta de métodos contraceptivos na rede municipal de saúde.

A vereadora Juliana da AtivOz apresentou a Moção de Inconformismo 323/2021, pela tentativa de barrar a oferta do método DIU – dispositivo intrauterino – na rede de saúde do município.
Segundo a parlamentar, houve suposta tentativa de condicionar a implantação do DIU no corpo das mulheres ao consentimento de seus maridos.

Ao justificar o documento, Juliana da AtivOz explicou que a decisão cabe apenas à mulher. “Nossos corpos precisam ter a liberdade de optar se querem ter filhos ou não, dessa forma preventiva. É prevenindo através do equipamento público que a gente consegue isso”, disse.

Ainda de acordo com a parlamentar, o Diu é uma ferramenta importante tanto para o planejamento familiar, como para evitar problemas de saúde, como endometriose e sangramento menstrual – problemas que, segundo ela, “atrapalha muito o dia a dia” das mulheres.

O vereador Emerson Osasco (Rede) manifestou apoio à moção de Juliana e disse acreditar que a decisão da implantação do Diu deve ser da mulher. “Cabe a nós, como homens, ouvir atenciosamente o que as mulheres falam, o que sentem como dores e como querem que essas dores sejam resolvidas”.

Indicação ao prefeito
O presidente da Comissão de Saúde da Câmara, vreador Michel Figueredo (Patriotas), encaminhou ao prefeito Rogério Lins (Podemos) indicação cobrando a disponibilização do método DIU em todas as Unidades Básicas de Saúde do município que possuam médico ginecologista.

registrado em: