Vereadoras cobram prioridade na contratação de trabalhadores de Osasco

por adm publicado 29/06/2021 15h35, última modificação 30/06/2021 11h00
Ideia é que empresas reservem percentual de vagas para moradores da cidade.
Vereadoras cobram prioridade na contratação de trabalhadores de Osasco

A vereadora Elsa Oliveira (29jun2021 - Ricardo Migliorini/CMO).

Por Deniele Simões

A prioridade na contratação de trabalhadores locais para as vagas de emprego abertas em Osasco foi um dos assuntos debatidos na sessão ordinária desta terça-feira (29) no Legislativo osasquense.

A questão foi levantada pela vereadora Elsa Oliveira (PODE), autora da proposta para a criação da Frente Parlamentar pela Geração de Emprego, Trabalho, Renda e Desenvolvimento Econômico, que está em discussão na Câmara.

Elsa convidou os parlamentares a participarem da Frente, que será suprapartidária e terá como finalidade a definição de estratégias de geração de emprego, trabalho, renda e inclusão para uma cidade mais alinhada às necessidades de sustentabilidade, responsabilidade social e competitividade no mercado global.

De acordo com a vereadora, o prefeito Rogério Lins (PODE) tem feito anúncios constantes sobre a chegada de investimentos e novas empresas em Osasco. O último deles foi sobre a implantação de um supermercado de grande porte que deve gerar 1.200 postos de trabalho.

Para Elsa Oliveira, é importante que essas vagas sejam direcionadas a pessoas que moram na cidade. Ela pediu a união de todos os vereadores para que cobrem das empresas que estão se instalando na cidade a contratação de mão de obra local. “Precisamos priorizar o povo de Osasco que está desempregado. Peço a colaboração de vocês para que, juntos, possamos acompanhar a contratação dessas pessoas”, reforçou.

A vereadora Lúcia da Saúde (PODE) também defendeu a contratação de trabalhadores locais e sugeriu ao prefeito Rogério Lins que seja estabelecido um percentual fixo de trabalhadores locais para contratação, a fim de garantir emprego e renda às pessoas afetadas pela crise econômica gerada pela pandemia de Covid-19.

Segundo a parlamentar, o quadro de desemprego ainda afeta muita gente em Osasco. Ela citou como exemplo o fechamento da sapataria do senhor Flaviano Almeida do Nascimento, que existia há mais de 50 anos.

Nascimento, que chegou a ser homenageado pela Câmara de Osasco em 2017, com o título de Cidadão Osasquense, foi obrigado a fechar o estabelecimento devido à crise econômica.

Vagas para 50+

Elsa Oliveira também reforçou a importância de priorizar a contratação de pessoas maiores de 50 anos. Segundo ela, muitos trabalhadores que pertencem a esse grupo enfrentam o drama do desemprego. No entanto, ela destaca que são pessoas que possuem qualificação profissional e experiência no mercado de trabalho. Além disso, muitos deles já foram imunizados com as duas doses de vacina contra a Covid-19.

Para a vereadora, outro grupo que necessita ser priorizado nas contratações é o dos jovens. “Nossos jovens também precisam de uma atenção especial porque não têm experiência. Eles precisam também de uma oportunidade”, justificou.

Fomento à Cultura

Já a vereadora Juliana da AtivOz (PSOL) cobrou um olhar especial por parte da administração para o Plano de Recuperação da Economia da Cultura. O coletivo AtivOz criou o projeto em parceria com artistas locais, com o objetivo de fomentar a atividade cultural.

Juliana conheceu o plano de fomento à atividade econômica cultural junto à Secretaria Municipal de Cultura e elogiou o trabalho em desenvolvimento, mas cobrou ajustes para otimizar o uso do Fundo de Cultura em benefício dos artistas e da produção cultural. Os recursos do Fundo são da ordem de R$ 2,4 milhões.

Multimídia - 16ª Sessão Ordinária (29/06/2021)
Galeria de Fotos
Vídeo na Íntegra